MORRE O PIONEIRO GILSON LANNA


FOTO – Gilson Lanna, em sua casa em 2016 – a Av. Pedro Nolasco na década de 1940, onde habitou  até seus últimos dias 

Na década de 1930, a Cia Siderúrgica Belgo-Mineira instalou no antigo povoado do Calado (Coronel Fabriciano) o escritório da CAF, para implementar os serviços de produção de carvão que seguiria pelos trens da EFVM até a usina, em João Monlevade. Em 1942, vindo de Ponte Nova, Gilson Lanna chega ao Calado para trabalhar no setor administrativo da CAF. Apaixonado por fotografia, Gilson Lanna trouxe em sua bagagem uma câmera fotográfica modelo Brouwn, da Kodak. Nesse período, os primeiros registros fotográficos do povoado foram surgindo das lentes de Gilson Lanna, que instalou em sua casa um pequeno laboratório para revelação própria. No dia 15 de março, sexta-feira,15. Gilson Lanna faleceu, deixando um dos mais importantes acervos fotográficos históricos de Coronel Fabriciano. Com Revista Caminhos Gerais