O lucro da Usiminas tem alta de 163% em 2018


Com melhores preços e volumes, resultado atingiu R$ 829 milhões

A Usiminas encerrou o ano de 2018 registrando um lucro líquido de R$ 829 milhões, uma variação positiva de 163% em relação ao ano anterior, quando obteve um lucro líquido de R$ 315 milhões. O Ebitda Ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) da companhia, no período, ficou em R$ 2,7 bilhões, contra R$ 2,2 bilhões em 2017. A Margem de Ebitda Ajustado, de cerca de 20%, se manteve estável em relação a 2017. Os melhores preços praticados e volumes de vendas de aço no ano (4,2 milhões de toneladas) contribuíram para um resultado de vendas 4% superior ao de 2017. Destaque também para as vendas de minério de ferro (6,5 milhões de toneladas), com alta de 76% comparada a 2017.

Em relação ao quarto trimestre do ano passado, a Usiminas apresentou lucro líquido de R$ 401 milhões, contra um lucro líquido de R$ 289 milhões no trimestre anterior (3T18). Já o Ebitda Ajustado de outubro a dezembro do ano passado atingiu R$ 830 milhões. De julho a setembro de 2018, ficou em R$ 703 milhões.

Em 2018, foi registrada também uma elevação no volume de investimentos da Usiminas, que totalizou R$ 463 milhões no período, ante os R$ 216 milhões contabilizados em 2017. Em relação ao endividamento financeiro, a dívida bruta da empresa caiu de R$ 6,7 bilhões em 31/12/2017 para R$ 5,9 bilhões ao final de 2018, uma redução de 12,1%.

Segundo o presidente da Usiminas, Sergio Leite, a empresa manteve em 2018 a trajetória de crescimento sólido, apesar dos cenários interno e externo ainda bastante desafiadores. O consumo de aços planos no país teve uma alta de 8,9% no ano passado comparado com 2017 e as vendas da indústria registraram uma elevação de 10,6% frente ao ano anterior. O executivo destaca que a companhia encerrou o ano com a produção de placas a plena carga na Usina de Ipatinga, a partir do religamento do alto-forno 1 e com uma alta de 5% na produção de laminados em Ipatinga e Cubatão, além da retomada das exportações de minério de ferro.

“Em 2018, a Usiminas encerrou um período voltado à recuperação dos resultados. Agora, iniciamos uma nova fase em que o nosso foco passa ser a perenidade da empresa e a sustentabilidade dos negócios. Para isso, devemos ir além dos números e atuar fortemente na transformação digital, na mudança do mindset da companhia, na gestão de pessoas, na preparação dos nossos líderes para enfrentar os desafios que o presente e futuro apresentam. A força motriz do novo ciclo que iniciamos em 2019 será a inovação”, analisa o executivo.

Unidades de Negócios

Na Mineração Usiminas (Musa) houve uma elevação de 42,5% na produção de minério de ferro em 2018.  Foram 5,6 milhões de toneladas no período, contra 4 milhões de toneladas produzidas em 2017. Em relação ao 4º trimestre do ano, o volume de produção registrou queda de 4,5%, quando comparado com o trimestre anterior. No período, a produção foi de 1,4 milhão de toneladas (4T18) contra 1,5 milhão de toneladas nos três meses anteriores (3T18).

O volume de vendas de minério, por sua vez, atingiu 6,5 milhões de toneladas no ano passado contra 3,7 milhões de toneladas em 2017, uma elevação de 76% devido, principalmente, à retomada das exportações e ao maior volume de vendas no mercado doméstico. No quarto trimestre do ano, as vendas (1,5 milhão de ton.) tiveram redução de 14% na comparação com o trimestre anterior, quando atingiram 1,8 milhão de toneladas.

No ano, o Ebitda Ajustado da Musa ficou em R$ 203,2 milhões, contra os R$ 345,4 milhões registrados em 2017, quando a empresa contabilizou R$ 201 milhões líquidos referentes ao acordo com o Porto Sudeste. Nos três últimos meses do ano, o Ebitda Ajustado da Musa atingiu R$ 38,1 milhões, ante R$ 82,8 milhões registrados no terceiro trimestre de 2018.

Transformação do Aço

A Soluções Usiminas, que atua nos mercados de distribuição e processamento de aço, além deserviços e fabricação de tubos de pequeno diâmetro, contabilizou uma receita líquida de R$ 3,2 bilhões no ano passado. O resultado é 30% superior ao registrado em 2017, de R$ 2,5 bilhões. A melhora ocorreu, principalmente, devido a um preço médio cerca de 17% maior, além do crescimento do volume de vendas e serviços. Já no quarto trimestre, a receita líquida totalizou R$ 831,1 milhões, redução de 11% quando comparada ao trimestre anterior (3T18), de R$ 933,4 milhões, em função, especialmente, do menor volume de vendas e serviços no período.

No ano passado, o Ebitda Ajustado da Soluções Usiminas teve recorde histórico, totalizando R$ 118 milhões, um aumento de 16,7% na comparação com 2017 (R$ 101 milhões). No trimestre, o Ebitda Ajustado foi de R$ 11,8 milhões, redução de 70,7% em relação aos meses de julho a setembro de 2018, quando a companhia registrou um Ebitda Ajustado de R$ 40,4 milhões. A redução se deu em função da menor diluição de custos fixos devido à queda no volume de vendas e dos maiores preços médios de matéria-prima.

Bens de Capital

Na Usiminas Mecânica o ano de 2018 foi encerrado com um lucro bruto de R$ 2,9 milhões contra lucro bruto de R$ 9,4 milhões em 2017. A queda é justificada, principalmente, pelas margens inferiores praticadas nos projetos fornecidos para todos os segmentos de negócio, em especial, na área de vagões ferroviários. No quarto trimestre do ano, a empresa teve um prejuízo bruto de R$ 14,3 milhões, contra os R$ 12,9 milhões negativos registrados no terceiro trimestre de 2018.

O Ebitda Ajustado da Usiminas Mecânica no ano de 2018 foi negativo em R$ 21,4 milhões, uma melhora de 35,9% em relação a 2017, quando ficou negativo em R$ 33,4 milhões. No 4T18, o Ebitda Ajustado ficou negativo em R$ 14,6 milhões, contra os R$ 19,6 milhões negativos nos três meses anteriores (3T18).